Autolabs vs. ProCAJU: versão 1.0

As oficinas que constituem o Autolab proposto para o Projeto Centros de Ações Juvenis estão dispostas em quatro núcleos distribuídos de forma cíclica entre os distritos durante o período de seis meses. Os núcleos propostos são:

Núcleo de apoio:
1)Informática Livre para Mídia Independente;

Núcleo de mídia eletrônica:
2)Histórias Digitais;
3)Experimentação e Publicação Gráfica.

Núcleo de som:
4)Rádio Livre/Web Rádio;
5)Produção Sonora.

Núcleo técnico:
6) Manutenção para Computadores Reciclados.

Estes núcleos constituem a integração das oficinas, para que entre os produtos resultantes de cada uma delas, haja possibilidade de diálogo, compartilhamento de informação e colaboração para a finalização das propostas. Este processo é moderado através de um articulador que apreende o conjunto das ações e monitora o andamento de cada avaliação/produto, permitindo que a conjunção componha o laboratório de mídia tática.

Durante os meses de aplicação das oficinas, um produto geral é formado, um website. O website do projeto é o ambiente on-line que concentra e mobiliza as informações e registros do laboratório e contribui para desenvolvimento e pesquisa dos projetos aplicados para orientação e capacitação básica dos jovens.

Todas as ferramentas de interação, como sistemas colaborativos, rádio, vídeo, e outros registros propostos, compõem o corpo do projeto que subsidia o durante e o depois do desenvolvimento das metodologias propostas para os distritos. É o website que dará suporte para a replicação dos assuntos apreendidos durante o processo, e também como ferramenta de pesquisa e orientação à distância, favorecendo para que muitos tenham acesso aberto para o aproveitamento do material disponível on-line.

O desenvolvimento do site se dará por fases, acompanhando o processo de constituição do laboratório, cobrindo a montagem e abordagem prévia proposta pelos grupos. Na primeira fase o conteúdo do site refere-se as informações gerais sobre o projeto e de todas instituições envolvidas (parceiras) no processo. Com o funcionamento das oficinas os sistemas colaborativos on-line estarão disponíveis, acessados via website do projeto, constituindo a segunda fase. A terceira e última fase refere-se aos processos avaliativos, registros e produções de cada oficina, é neste momento que o conteúdo (apostilas, tutoriais, dúvidas freqüentes e respostas), fornecido pelas oficinas, se disponibilizará no website do projeto para utilização pública.


Habilidades

As habilidades são cumulativas e não obrigatórias, de forma que os jovens poderão percorrer todas as oficinas oferecidas ou orientar-se entre elas. Para aqueles que participarem do circuito completo, as habilidades serão as seguintes:

Básicas: Reconhecer as mídias existentes e o seu potencial de aplicação; Reconhecer sua criatividade e percepção para a viabilizar produções.

Específicas:
Produzir seus projetos, criar sua própria mídia e desenvolver as suas habilidades baseado no conceito geral dos laboratórios; Capacidade para desenvolver e divulgar projetos, através da utilização dos meios eletrônicos.

Atidudinais:
Acreditar no seu trabalho e manter postura de integração da comunidade ao meio midiático.

Avaliação
Cada oficina segue com a sua proposta de avaliação classificada como registro, a conclusão de um produto de mídia, cartaz, fanzine, website, cds. E para o conjunto das oficinas a avaliação é determinada por dois sistemas on-line interativos. Para que eles funcionem é necessário que orientadores e alunos participem na mesma proporção para contribuir na alimentação contínua dos sistemas propostos. Estes sistemas são: Rau-Tu e o Nou-Rau.

O Rau-Tu possibilita que orientadores possam responder dúvidas e dificuldades questionadas por visitantes do website. O sistema Nou-Rau tem por objetivo implementar um sistema on-line para arquivamento e indexação de documentos (apostilas, tutoriais, textos de referência), provendo acesso controlado e mecanismos para busca.
Ambos os sistemas foram desenvolvidos pelo Instituto Vale do Futuro em parceria com o Centro de Computação da Unicamp. O uso é livre e gratuito, sendo distribuído sob a licença GPL.