ProCAJU: EIXO Novas Mídias

O projeto está já concluiu a fase 2 onde foram realizadas oficinas de formação em elaboração de projetos e organização de eventos, para que os jovens possam constituir uma rede de ações juvenis locais, pautada por projetos elaborados por eles. A fase 3 que inicia-se em JANEIRO DE 2003 e vai até JULHO de 2004, contará com oficina de novas mídias, compostas de:

Núcleo de apoio: 1)Informática Livre para Mídia Independente;
Núcleo de mídia eletrônica: 2)Histórias Digitais; 3)Experimentação e Publicação Gráfica.
Núcleo de som: 4) Rádio Livre/Web Rádio; 5) Produção Sonora (MDB - Música Digital Brasileira)
Núcleo técnico: 6) Manutenção para Computadores Reciclados

Nestas oficinas o computador aparece como ferramenta de aprendizagem; exercício das inteligências coletivas: cibercultura como coexistência pacífica e de fecundação mútua de todas as idéias e de todas as culturas. A fase 4 do projeto será de concretização dos Centros de Ações Juvenis (um em cada subprefeitura), estes serão centros de referência dos jovens, para suas ações locais e nele eles terão infraestrutura para organizar suas atividades (laboratório popular de informática, equipamentos de reprodução e tratamento de imagens e som, sala para reuniões, telefone para articulações, etc.). Os centros serão assessorados pelos educadores que já estão trabalhando com os jovens e administrados em forma de autogestão, para que possam ser sustentáveis a longo prazo. Os equipamentos de novas mídias serão utilizados pelos jovens do Programa Bolsa Trabalho, para constituir três Telecentros Populares Juvenis como parte de suas ações nas respectivas subprefeituras. Nesse sentido já está em curso, conversações com o Governo Eletrônico, para integrar estes telecentros, à rede de inclusão digital da PMSP, contando para isto, com cooperação técnica e financeira.

São Parceiros no Projeto Centros de Ações Juvenis:

Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Solidariedade
É responsável pela coordenação de um amplo conjunto de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento e ao bem-estar da população paulistana. Está à frente de nove projetos de inclusão social (Bolsa Trabalho, entre eles), que têm como objetivo a geração de ocupação, a redistribuição de renda, o desenvolvimento socioeconômico da cidade e, assim, a ruptura do ciclo estrutural da pobreza e da miséria.

Secretaria Municipal de Comunicação Social, através da Coordenadoria do Governo Eletrônico
Tem como responsabilidades cuidas da comunicação mediada por computador entre a administração e a população. Controla o portal da cidade www.prefeitura.sp.gov.br e combate a exclusão digital, que impede a maior parte das pessoas de participar dos benefícios das novas tecnologias de informação. A luta pela disseminação do Software Livre é outra tarefa da coordenadoria. É também de sua responsabilidade a execução do Plano de Inclusão Digital, conhecido como e-cidadania, que consiste em implantar Telecentros nas áreas mais carentes da cidade.


Autolabs - laboratório de mídia tática;
Metareciclagem;

Agente Cidadão
É uma organização sem fins lucrativos que é o elo de ligação entre o doador e as instituições beneficentes e, conseqüentemente, pessoas que precisam das doações para ter uma vida melhor e mais confortável.